Óleos base

Os óleos base (vegetais) são óleos gordos que são usados para a nutrição, cuidados com a pele e como portadores de óleos essenciais. Os óleos essenciais são substâncias lipofílicas concentradas derivadas de plantas que antes do uso devem  ser dissolvidas numa gordura, e estes são os óleos de base mais apropriada é por isso que eles são chamados de portadores de óleos essenciais.
Os óleos base utilizados na aromaterapia deve ser de alta qualidade, prensados a frio, não refinados, porque só assim o óleo retêm todos os seus nutrientes (poli e ácidos graxos monoinsaturados, vitaminas, flavonóides, aromas, etc.).

Durante muito tempo ao longo da história, os óleos de base têm se obtido apenas através do processamento pressado frio. O material vegetal aquecia-se suavemente a partir de onde a compressão recebia uma certa quantidade de óleo. Como a tecnologia tem avançado a indústria de alimentos introduziu um novo método de obtenção de óleos vegetais – prensagem a quente, em que o material vegetal exibiu uma temperatura elevada e, assim, o rendimento do óleo foi muito maior. Não foi dada muita atenção aos efeitos adversos desta produção, pois o processo era rápido, barato e fez lucros enormes. Embora agora saibamos que existem efeitos negativos deste tratamento, tais como oxidação de ácidos graxos e a formação de produtos de gorduras cancerígenas ainda nas prateleiras das lojas podem-se geralmente encontrar estes óleos, que são utilizados diariamente na comida.

Os óleos vegetais podem ser obtidos mesmo por extração com solventes orgânicos – hexano (assim se faz ainda em alguns locais o óleo real de sementes de uva). Estes óleos podem ter vestígios de solventes orgânicos na sua composição e, como tal, não são adequados para alimentação nem para a aromaterapia.

O processo de refinação de óleo é composto por várias fases. A essência deste processo é em primeiro lugar aumentar a data de validade do óleo. Com o processo de neutralização remove-se o excesso de ácidos gordos livres. São removidos por adsorção de substâncias que dão uma cor para o óleo, tais como carotenóides, clorofila, etc .. desta forma o óleo torna-se visualmente mais aceitável para os clientes. Naturalmente que com este processo o óleo perde valiosas propriedades medicinais! Eliminam-se odores de óleo (por vapor), o óleo fica com o odor neutro. O processo de remoção de óleo de cera obtém mais clareza mas perde novamente os componentes de cura de óleo – ceras que são extremamente importantes no cuidado e proteção da pele. É por isso que os óleos refinados são indesejáveis na aromaterapia! Note-se que os óleos refinados podem ser obtidos tambem através da prensagem a frio, simplesmente estes sao dois processos de tratamento separados, por isso deve-se sempre prestar atenção à declaração do produto para se saber que óleos se estão a consumir. Escolham sempre os óleos vegetais refinados e frios porque somente estes retêm as qualidades terapêuticas.

Os óleos vegetais são ácidos graxos curativos essenciais, ômega 3, 6, 9 – alimentam o organismo com os ácidos graxos que o nosso corpo não consegue produzir e que devem ser consumidos através dos alimentos. Os óleos contêm fitoesteróis, flavonóides, carotenóides, tocoferóis antioxidantes naturais importantes que nos protegem dos radicais livres e do stresse oxidativo, reduzem a inflamação, secura e vermelhidão da pele, protegem a pele da radiação UV, etc ..

As plantas das quais se recebem os óleos de base mais importantes utilizados na aromaterapia são: argan, abacate, amêndoa, borragem, cominho preto, semente de uva, jojoba, avelã, linho, gergelim, girassol, macadâmia, damasco, azeitona, gérmen de trigo, o fruto da rosa selvagem, coco, etc.

Dr. med. Bojana Mandic, aromaterapeuta famíliar